Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: Uma manhã de Sábado
recomeça o futuro sem esquecer o passado

10 de novembro de 2007

Uma manhã de Sábado

Dou um salto da cama como se me faltasse o ar. Faz um frio de rachar. Ouço um galo no seu galinheiro a cantar, o que me irrita porque eu queria era dormir. Eu daria um cigarro e as chaves do meu carro mas na verdade os galos não fumam nem conduzem. Afinal de contas o melhor é cada um no seu lugar, ele no galinheiro e eu a conduzir a esta hora da madrugada já manhã.
Sinto-me a patrulhar o silêncio da cidade que ainda dorme. Percorro ruas e acendo o meu novo último cigarro. Não deve ser o último dos últimos mas é um último. Assim penso eu.
Sinto que o coração me saltou pela janela e no seu lugar eu coloco um mental cartaz que diz: ‘coração fechado para obras e reformas’. O meu médico me disse que eu devia ter muito cuidado, que ando muito delicado pelo que me enumerou um cem número de proibições e medidas de choque.
Mas eu percorro as ruas da cidade como um vigilante desatento. Quantas vezes já passei por aqui?
O fumo sai pela janela deixada aberta com um propósito. Sai o fumo e entra o frio. Trocas neste mundo de comercio livre...
Saio do carro como se me faltasse o ar e me meto na cama a pensar no galinheiro.

Sanzalando

1 comentários:


WebJCP | Abril 2007