Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: renascendo
recomeça o futuro sem esquecer o passado

4 de junho de 2008

renascendo

Ouço o marulhar, das mil ondas que rebentam na areia, num espraiar preguiçoso de quem aguarda um adeus adiado.
São milénios de noites e dias transformados em rios de nostalgia numa alma em chamas.
Já mandei mensagens em garrafas, já usei novas tecnologias. E sempre o tempo responde-me em silêncios.
Vá-lhe, que nem o adeus chegou.
Deve de ser por ser madrugada que o sol ainda não se deixou ver e as sombras são manchas ténues de quase nada, a lua já não tem a força do brilho da noite, mostra-se pálida, perfeita e baça, como que observando alguma alma passeando num vazio, e eu, que caminho de olhos no zulmarinho como que a rever todas as lágrimas que lhe deitei, recordo todos os princípios do amor como que à espera do renascimento da esperança.

Sanzalando

2 comentários:


WebJCP | Abril 2007