Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: Sonhar-te é dar-te um beijo
recomeça o futuro sem esquecer o passado

17 de setembro de 2009

Sonhar-te é dar-te um beijo

Sonhar-te como te sonho até parece que faz um buraco no céu. É assim, como que um vento do tipo brisa maritima salpicando a alma com pedrinhas de sal. Qualquer coisa como lágrimas solidificdas. Modo de vida. Um caos que me deixa crédulo e paciente. Calmo, sereno e tantos outros adjectivos maravilhosamente inexplicáveis com que me cruzo na encruzilhada desta forma de vida. E o que é que vai acontecer quando eu deixar de te sonhar? Cairá a terra sobre o céu! Não, não é o inverso porque isso é o habitiual e se eu deixar de sonhar não é normal e portanto tem de ser um fenómeno anormalmente incerto. Também pode acontecer as estrelas perderem o brilho e o sol ficar afogado em poieiras. Ou o mundo entrar em tuneis de dúvidas. Tudo pelo simples facto de eu deixar de te sonhar.

Mas na verdade eu sonho-te e sou um iluminado. Para mim sou-o, assim como poderia achar-me um charmoso paradoxo.

É o preço de sonhar-te, viver-te mesmo na distância física e não sentir o frio dorido da ferida, porque és como que a manta que me envolve o coração, afaga a alma e faz-se luz de vida, limpida, brilhantemente luminosa, por vezes ofuscante e por vezes recordante de passados obscuros.

Sonhar-te dançando na corda bamba, equilibrio de infância, joelhos feridos duma queda sem importância na tentativa de dar um salto sem medir a distância porque te amo, porque não sinto dor, porque vejo as estrelas cintilarem, quando me deito e só de te imaginar.

Sonhar-te é dar-te um beijo.


Sanzalando

4 comentários:


WebJCP | Abril 2007