Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: sonho de adeus
recomeça o futuro sem esquecer o passado

14 de setembro de 2009

sonho de adeus

Me deixam estar aqui quietinho, silenciosa e escultutoricamente. É, virei estátua do meu silêncio enquanto a tarde avança rápida por entre o chegar da noite. Foi hoje o dia que as andorinhas se juntaram na minha porta como que a me pedir autorização de partirem para terras mais quentes e me deixarem aqui a lhes esperar mais uns tempos. Nesta estátua de observação procuro a tranquilidade desejada nas entrelinhas da minha estória que um dia ousei viver desde que nasci. Ouço o zulmarinho mesmo não lhe estando ao pé, porque é ele que me faz regressar à vida numa figurinha dum cromo descolada dessa estória que me vai escapando da memória. Hoje regressei ao bairro antigo onde nasci mesmo que não tenha nascido num bairro porque a cidade era em si um bairro apenas. Hoje olhei nos olhos dos amigos com quem brinquei as primeiras brincadeiras que tenho lembrança.

Hoje tenho uma tarde como se estivesse a dizer adeus a um sonho. Quieto, olho à minha volta como quem procura uma saída que não diga entrada de coisa nenhuma, quero meter na gaveta do esquecimento as dores, as lágrimas, as minhas e as de outros que eu testemunhei.

Hoje, aqui no silêncio da quietude isolada da solidão, sonho-te de braços abertos à minha espera, como quem espera essas andorinhas que hoje me vieram pedir licença de partir sem mim.

Hoje, a tarde avança rápida por entre lágrimas que não me apetecem chorar.



Sanzalando
Posted by Picasa

2 comentários:


WebJCP | Abril 2007