Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: dourados sonhos sem côr
recomeça o futuro sem esquecer o passado

5 de novembro de 2009

dourados sonhos sem côr

Me sentei na secretária com o olhar de ver para dentro.
Tem hora que é preciso a gente se espreitar, ver se tem algum ponto que não levou a tinta que costuma dourar o dia.
Hoje o dia não parece que quer ficar dourado e a janela entreaberta faz com que o assobio do vento ainda mais o empalideça. Me olho num rever de pontos cardinais e até parece que já não sei onde fica o norte, o sul, o este e o oeste, sendo que apenas me lembro é dos filmes de cóbois em que este assobiar do vento é acompanhado por um novelo de capim que percorre em velocidade uniformente acelerada a rua principal que por sinal é a única. O sol já não brilha quando ainda é hora dele estar replandescente, o silêncio da metade da tarde é interrompido por um precoce cair da noite.
Hoje não vou dourar o sonho apenas porque não lhe sonhei.

Sanzalando

1 comentários:


WebJCP | Abril 2007