Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: Diálogo duma só voz (XVI)
recomeça o futuro sem esquecer o passado

27 de junho de 2010

Diálogo duma só voz (XVI)

- Te atiras na solidão como quem vai mergulhar no mar de águas calmas...
- Te enganas. Como sempre. Apenas me espanto porque não encontro a doçura na minha voz ao mesmo tempo que procuro uma simetria na minha vida entre um passado e o futuro sem ser no estado ausente.
- Filosofas...
- Como queiras... desde que eu não encontre encontros nos desencontros nem ausências em corpos que já encarnei...
- Não existes, não pertences a nenhum lugar. És um fantasma que te criaste...
- Não. Sou um jeito de sorrir enquanto me vivo e enquanto não me perco.



Sanzalando

0 comentários:


WebJCP | Abril 2007