Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: sentimentos ao vento de fim de dia
recomeça o futuro sem esquecer o passado

13 de maio de 2011

sentimentos ao vento de fim de dia

Me atiro para cima da areia e me pergunto o que é que eu faço agora. Mesmo antes de dizer um ai por me ter magoado na queda, porque a areia não é assim tão fofa como me parecia, eu já me arrependia da ousadia. Deitar na areia num fim de tarde de vento é o mesmo que estar à espera de fazer uma limpeza de pele pelo sistema abrasivo. Eu precisa era de limpar os meus sentimentos e não a minha estimada e suave pele. Confesso, eu preciso de mimos, chocolates e abraços, e aqui na areia da praia em fim de tarde eu não vou nem conseguir nem se quer imaginar. Custa imaginar quando o vento não está de feição. Já sei que são as coisas mais tolas que me encantam e as mais belas que me apaixonam. A queda na areia já não fofa duma praia ao fim da tarde deve ter-me toldado as ideias, modificado as palavras, baralhado as memórias.
Me levanto da areia da praia e paro de pensar em perguntas que gostaria de me fazer. É fim de tarde, é quase hora de imaginar o teu pôr de sol que em tempos eu não ligava nenhuma porque teria tempo mais tarde e agora é como é.
Venha vento abrasivo me limpar os sentimentos.


Sanzalando

2 comentários:


WebJCP | Abril 2007