Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: Recordar outros escritos (6)
recomeça o futuro sem esquecer o passado

16 de novembro de 2013

Recordar outros escritos (6)

faz tempo 03-11-2003 18:48 Forum: Liceu Américo Tomás

--------------------------------------------------------------------------------

Hoje é Sabado e estamos em Março. Passei mesmo o dia na praia. Também não foi o dia todo, porque de manhã tive que dormir o que não dormi de noite. Um homem não é de ferro.
Ontem á noite, depois do jantar fui beber uma bica na Oásis. Quem tava lá? Os mesmos de sempre. Na mesa da esquina estavam os cotas: Trintade da Alfândega, o pai do Mané, o Figueira das Amêijoas. Parece mesmo que só estavam esses. Na nossa mesa além de eu próprio, estava o Moreira, o Fisga, o Vitor, o Figueira da Farmácia, o Grilo e o Reis, filho do dono. Despude de estar ali. Às 21 tinha que ir trabalhar no RCM. Sai na hora da Cinderela e ainda fui na Feira. Tá mesmo calor...Mapundeiras de mini-saia tá bué. Passa para lá, passa para cá. Fui no Cardin ver a música. Tá assi de gente não dá para ver nada. Cabeças de Peixe e mapundeiros tem não como ver diferença. Num dá ficar aqui. Fui comer um cachorro-quente na barraca do Ferrão. Hummmmm que delícia.
Puto Gimba, onde vais? Vou pro Cardin, tá lá a malta toda. Esse tá no Tchivinguiro desconsegue ficar comigo. Tem outra tribo. Fico mesmo aqui sentado no palco do cinema da praia ver quem passa. Apareceu Amorim e Vitória Pereira. Vamos tocar música na areia. Vamos é forte, porque se abro a boca para cantar me dão porrada, e tocar na viola só mesmo para mudar de lugar. Eu diz que música eles tocam e cantam. Sai Francisco Fanhais que Vitória Pereira canta. Sai Adriano Correia de Oliveira para o Amorim. Boa música mesmo. Vou buscar cervejas. Ali ficamos na musica e cucando. Umas atrás das outras. Hoje não tou virado para as mapundeiras. Elas nunca olham para mim, mesmo. Pessoal não vou suplicar.
Isto foi ontem que era sexta-feira, porque hoje que é Sábado eu estou na frente do Clube Nautico. Tém baile. Já vi passar o Walter Frota, o Calinhas, o Pardal, Alexandre Miranda, sei lá mais. Sei que passaram bué de pré-kotas e muitos outros que são kotas e levam as filhas a tiracolo. Todos vestindo roupa de Domingo. Lá dentro está o Bonvalot tocando bateria, Nelson que tocava acordeão agora está moderno porque toca orgão, na viola-baixo desqueci o nome, e a cantar está o Ricardo Costa. Acho que são os Tropical. Com estas noitadas de Março a cabeça já vai dando fraqueza. Hoje não tocam os ferroviários com o Matos ao saxofene - é ele que com o instrumento diz quando começa a música e quando acaba - e o Minas a cantar - Deixa o meu cabelo em Paz, o Sousa Santos no baixo. Hoje são os velhotes. Entrou agora o Dr. Brandão e família, o Júlio Santos, mulher e filha. Eu também queria entrar. Me dizem que putos de calção não entram não e eu não tenho roupa de domingo para vestir no sábado à noite. Távam a pensar que este mundo é justo? Não é não. Meu coração bate que nem cabe no peito e estes gajos não vão deixar entrar? Espera aí que já vais ver como é...
Olha o Osório também vai na farra. Vem com a irmã. Olha a Aura e a Jusa. Todos estão a entrar e o filho da lavadeira fica aqui fora? o Tchifufa e o Cláudio Frota também tão a entar. Este mundo não está justo, não.
Tanta geração lá dentro que não me interessa se foi tudo no mesmo Sábado ou no mesmo Março. Me interssa sim, que aconteceu e eles se lembram, mesmo que eu não me lembre já se entrei ou desconsegui. Mas isso era outra estória num outro março da vida.


Sanzalando

0 comentários:


WebJCP | Abril 2007