Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: engolido na onda
recomeça o futuro sem esquecer o passado

3 de junho de 2017

engolido na onda

Olho o zulmarinho. Hoje acordou parece revoltado. Lhe pergunto em silêncio que é que aconteceu e ele me responde assim num desmanchar de onda parece me quer engolir. Medei-me todo. É fiquei mesmo com medo de ser engolido por ele e ele se indispor depois comigo. Eu que ganho a vida a cuidar de vida de repente tremeliquei-me. Eu que tenho de ter a capacidade de me inovar, superar e se calhar ultrapassar para que alguém continue com a capacidade de pensar e fundamentalmente de sentir, tremeliquei-me com a onda que parecia me queria levar dentro do zulmarinho e sei lá me fazer o quê. 
Olhei para a imagem de Einstein e me lembrei da sua fórmula, em que E é igual a mc ao quadrado e do que ele dizia sobre o fazer as coisas sempre da mesma maneira e esperar resultados diferentes. Sempre olhei o zulmarinho e agora ele me faz esta coisa horrível de me engolir sem mastigar e se calhar a seguir me deitava cá para fora inanimado. Tolice minha que já lhe devia conhecer e nestes dias não me devia nem aproximar. Só mesmo lhe pensar.
É, esse zulmarinho me faz chegar lá na minha placenta sem pontos de vazio no meio. Lhe gosto e gostarei mesmo que o medo esteja na minha alma.



Sanzalando

0 comentários:


WebJCP | Abril 2007