20 de junho de 2014

tu

Ando para aqui dum lado para outro que até parece é barata tonta perdida num labirinto de ideias e perguntas.
Eu não quero outro riso nem outro sorriso. Também não quero mais outro olhar que me olhe. Disse e está dito. É o teu. São os teus. Incluindo abraços, que parecem laços a me segurar num entrelaçado mundo de hesitação.
Eu não quero outro amor nem outro beijo. É o teu. São os teus


Sanzalando
recomeça o futuro sem esquecer o passado