Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: futuro presentemente
recomeça o futuro sem esquecer o passado

5 de maio de 2017

futuro presentemente

Olhei o mar. Uma vez. Duas vezes. Olhos de ver e não com olhos de querer ver o que se imagina ser o alvo da visão. O mar lá estava, batido pela brisa sueste, quente e despenteante deste cabelo fino e grisalho, já sem a força e segurança doutros tempos.
Lá estava o mar a dizer-me que o futuro que me estava reservado não era este. A minha imagem não era esta, a minha maneira de ser e estar deveriam ter dado uma cambalhota algures numa qualquer porta da vida passada, quando entrei na fase de ser gente. Esta realidade actual só podia ser um sonho que eu estava a sonhar no futuro que me estava reservado. Não é ruim, pesadelo nem conto de fadas. Mas daqui a pouco eu vou acordar, na minha velha cama de solteiro numa casa distante deste mar, olhar o velho gira-discos que já faz tempo deixou de o ser para ser mera ornamentação, ouvir Maria Bethania ou Chico Buarque num rádio a valvulas e ainda não transistorizado, e dizer que o meu futuro vai começar.
Olhei novamente o mar. Olhos de ver ao perto e testa franzida de ver ao longe.
Se isto não é sonho, eu também não vou pedir para mudar tudo o que fiz, não vou pedir para esquecer tudo o que já vivi. Seguro esta realidade sonhada e sigo a vida feliz esperando chegar ao futuro desenhado.


Sanzalando

0 comentários:


WebJCP | Abril 2007