Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: tempos
recomeça o futuro sem esquecer o passado

30 de março de 2014

tempos

Não sei quanto tempo passou. O tempo sobre mim não muda. 
Muda-me o teu sorriso. Transforma-me o teu olhar. Cala-me a tua voz.
O tempo é de chuva e o tempo sem tempo de perder-se.
Não sei do tempo mas brindo-lhe, ao que não deu certo e que me fez ser como sou e nem lhe notei a falta.
Faz tempo que o tempo não é estável enquanto o tempo decresce.
Um sorriso, um olhar, uma voz e tempos tempo novo.


Sanzalando

0 comentários:


WebJCP | Abril 2007