19 de dezembro de 2014

São tuas, de alma e coração

Se eu fosse poeta fazia as palavras saltarem do coração para o papel. Não o sendo, tenho de as procurar nos meu cantos redondos, quadrados ou triangulares, as letras soltas duma frase sentida, o soletrar adequado à entoação referida e despejá-los numa folha de papel de linhas paralelas..
Como eu gostava que as palavras voassem... assim de ouvido em ouvido, sorridentes e felizes.
Eu não quero as palavras para mim.
Como é que se diz que o amor não tem preço?
São tuas, de alma e coração, todas as palavras que penso!

Sanzalando

Sem comentários:

Enviar um comentário

recomeça o futuro sem esquecer o passado