26 de junho de 2014

tempo

Vamos, num por assim qualquer, dizer que eu não me recomendaria nem a mim mesmo.
Força de expressão ou impressão depressiva.
Coisas do diabo que não dão nem para economizar a alma nem tempo para esquecer desgostos.
Na verdade mesmo é que eu desconfio do destino e acredito em mim, tal e qual sou em defeitos e virtudes.
Para melhorar acho vou ter de subornar o verão e ver se o tempo melhora. Pelo menos assim eu tenho uma vantagem, tenho o teu abraço a servir-me de cachecol.


Sanzalando

Sem comentários:

Enviar um comentário

recomeça o futuro sem esquecer o passado