Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: dei comigo
recomeça o futuro sem esquecer o passado

14 de janeiro de 2010

dei comigo

Dei comigo e estava com uma lágrima a me deslizar sobre a cara até ao ponto em que se tornou gota e se despediu de mim. Em vez dela me ter compreendido eu compreendi-a. Ambos tivemos as mesmas primaveras, porém as dela eram carregadas de mortos e feridos, da lágrimas choradas na vontade de as verter e as minhas, tirando uma ou outra nuvem de chuva mais carregada de tempestade, eram apenas primaveras. Eu sei que ela não tem primaveras, cacimbo, frio ou sol que por vezes é de escaldar. Mas tinha cheiro a pólvora em vez do perfume da terra molhada, mas tinha o som silvado das balas em vez da melodia dos pássaros que acordam alegres nas manhã.
Dei comigo e ela estava ali sentada, colorida, alegre no olhar e no sorriso inocente das palavras que adivinhei me ia dizer. Dei comigo triste por não ter vivido com ela os dias tristes do seu olhar.
Sei que ainda há mil luas pela frente, sei que somos pacientes e um dia em vez destas lágrimas estaremos lado a lado a gargalhar o passado que não tivemos.

Sanzalando

2 comentários:


WebJCP | Abril 2007