Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: o que eu não te disse
recomeça o futuro sem esquecer o passado

12 de junho de 2009

o que eu não te disse


Está sol de queimar um corpo queimado que nem o meu. Refugio-me em grandes caminhadas, perco-me do tempo em tempo nenhum. Tudo para esquecer quem me esconde a vida.
Já não suporto porque não resisto. Acho que todas as resistências, reais, imaginárias e mais aquelas que eu tentei inventar em mim, estão feitas em farrapos.
Enfim, recordo-te em cada movimento do meu corpo, porque me apareces como miragem reflectida num espelho inexistente da minha cabeça.
Enfim, num pequeno resumo, poderia dizer-te que eu já não existo para além do farrapo que me sinto. Estou como a resistência.
Tenho fome mas não me apetece comer.
Tenho sede e para além da mágoa não consigo ingerir mais nada. Talvez uma ou outra lágrima quem me escorra para o canto da boca…
Enfim, tento sorrir e parece faz chuva dentro de mim.
Vou passear até derreter de insolação a solidão.
Enfim, vou tentar recuperar o pouco que encontrar de mim, juntar peças e voltar-me para mim.



Sanzalando

1 comentários:


WebJCP | Abril 2007