30 de dezembro de 2004

Pescador - Cajoão6


  • citação:
    Originally posted by carranca: Conta aí as tuas andanças pelo rio que não viste, pelo mar que não atravessaste, pelas estradas que não percorreste.
Mermão, manda mais umas. Hoje preciso de muitas. Bastantes. Preciso de lavar os olhos com algo que não sejam lágrimas. Porque preciso de ganhar coragem para contar-te algo que sei que queres saber. E é importante para mim que o saibas. Porque, como eu, sei que não acreditas em acasos nem em manobras tecidas em obscuros universos que mais não servem que para encher revistas de gosto e moral duvidosa. Mas como dizem os espanhóis: "yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay". E a coragem serve-se em copo gelado. Por isso manda vir mais e ouve.Fevereiro do ano passado. Dia 21. Sexta-feira. Tinha programado sair ao fim da tarde, com um grupo de amigos para um fim de semana na foz do Rio Onzo. Ao fim da manhã aparece outro programa: Lobito - Benguela - Caota - Caotinha - Baía Azul... Como resistir ?!?!?! Sem hesitar optei pelo reaproximar do sul. Saímos de Luanda às 22/23 horas com o objectivo de pernoitar em Porto Amboim e seguir viagem na manhã seguinte. Por razões e peripécias várias, desconseguimos e o mesmo se passou no Sumbe. Por isso, resolvemos seguir em direcção ao Lobito até onde o sono apertasse ou as forças faltassem. Isso aconteceu por volta das 5 da manhã, e parámos para descansar um pouco. Só quando fecho os olhos me apercebo que estamos na Canjala !!!! É então que tomo consciência que, sem saber e sem o programar, estou no local onde foi assassinado e jaz, insepulto em localização desconhecida e nunca encontrada, o meu irmão FANÉ. Justamente no dia em que faria 47 anos...
MARzé

__________________Entre o Mar e o Deserto há gente.
Sanzalando em Angola
Carlos Carranca

Sem comentários:

Enviar um comentário

recomeça o futuro sem esquecer o passado