Navega à vontade que a Sanzala é segura, mesmo que te pareça lenta!
A Minha Sanzala: me fico e me vou
recomeça o futuro sem esquecer o passado

13 de julho de 2009

me fico e me vou

Me sento de cerveja na mão, ouvidos colados no marulhar como a querer escutar alguma mukanda que vem desde o outro lado da linha recta que lhe chamaram de horizonte.

Assim num quem me vê de longe ainda está a pensar que eu fui derrotado em batalhas inúteis e que as minhas armas se gastaram num inutilmente tempo perdido. Mas não, o meu coração ainda não foi enterrado mesmo que ele de vez em quando grite de dor.

Assim num quem me vê e pensa eu sou uma flor em Outono, murcha, devendo dias à morte, viuvado na solidão do silêncio não se deixe iludir pois a minha voz, sussurrada, ainda se faz ouvir.

Bebo um golo e de olhos perdidos no além mar crio enredos, troco sentidos num caminhar azul, diálogos calados numa qualquer canção de amor.

Me fico no mar como se o mar fosse as tuas carícias que me acariciam num sorriso teu.


Sanzalando

0 comentários:


WebJCP | Abril 2007