19 de agosto de 2007

palavras light = 0% de assunto (17)

Estou por aqui sentado e te diria que estou no inferno. Pode ser que não seja, mas que é o que sinto isso eu lhe sei de cor e salteado.
Pudesse eu e estaria espreguiçadamente estendido na areia de mil cores a ouvir o marulhar do zulmarinho no sei vai e vem arritmado se atirando na areia como que a dar-me os recados que me trás desde lá do inicio dele. Mas aqui só lhe ouço de imaginação ou se me der ao trabalho de encostar uma concha no ouvido, fechar os olhos e me deixar embalar no sonho.
Pudesse eu e estaria agarrado a uma birra loira estupidamente gelada a afogar a minha sede e a deixar os meus olhos calcorrearem caminhos nos corpos desnudados dessa praia fértil de ideias e sonhos.
Mas como não posso me sento aqui com ganas de repetir gestos mais de mil vezes repetidos de forma mecânica, vociferando palavras surdas.
É Domingo. Quem me diria.

Sanzalando

3 comentários:

  1. Ok!
    Acho que todos nós temos um.
    Mas não é legal valorizá-lo.
    O meu, eu pinto e bordo e às vezes me parece já um "purgatório".
    Espero assim, ir aos poucos modificando para que derrepente fique parecido com um lindo jardim, do jeitinho que eu imagino que seja o paraíso.
    maluquice? pode ser.

    Um bom finalzinho de domingo.
    bj.

    ResponderEliminar
  2. A monotonia, a falta de colorido, mata, mas terrível mesmo é admirar, amar algo fabricado. Pergunto vezes sem conta como é possível, mermão, estou ciente que a distância tem o condão de se conseguir analisar essas questões friamente. Acordar um dia e dizer BASTA!
    Essas construções feitas sob medida quando o que seria natural era somente acontecer espontaneamente. Bem, o melhor é deixar essas energias para algo que valha a pena…
    Gostei do sorriso!!!!!
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  3. E tu és lá capaz de vociferar palavras surdas???!!!!!só quem nunca te ouviu, vai acreditar.
    SJB

    ResponderEliminar

recomeça o futuro sem esquecer o passado