9 de janeiro de 2006

Uma estória verdadeira(?)

"Fio": Um café na Esplanada

carranca
Respostas:
2007
Visualizações:
50542
Uma estória verdadeira (?) Hoje, 15:31
Forum: Conversas de Café
Mermão, esta que vem na sequencia das outras mas não faz parte nada mesmo das outras por isso que está assim sem número que é para não atrapalhar. Tás-te aí a perguntar onde é que eu andei dois dias que não vim aqui te contar estórias, a verdadeira ou outras mesmo. Mas sabes, mermão, que não posso estar sempre assim aqui a te contar estórias, beber as birras geladas que não interessa a marca desde que loiras elas sejam. Preciso também alimentar o corpo, a alma, saber das ruivas, sabes como estão a crescer as ervas daninhas e as outras que às vezes a gente diz que se danem mas lá no fundo a gente se dana mesmo. è preciso, mermão, ir apanhar ar, beber a água da inspiração que náo é só transpiração que a gente tem de botar. E sabes, mermão, ainda aí um gringo, tá a fazer pressão que eu devia em vez de te estar a contar as estórias aqui na esplanada, perfumada com a maresia deste zulmarinho que termina aqui mas que tu bem sabes onde começa, mas te dizia, para não perder a meada do fio, que ele me está a tentar dizer-te que as estórias tÊm mais encanto se escritas no papel, do que na voz da minha boca. Tás a ver o dilema que eu tenho. O dever que te habituei a estar aqui na santa pachorra de me ouvir, na minha ginástica mental para te contar estorias verdadeiras mesmo que não tenham acontecido, a pressão que não é das artérias mas começa algures onde tem massa cinzenta. Assim, mermão, aproveitei dois dias para arrumar o sótão das estórias, arejar a pele que me veste, limpar os olhos com outras vistas que não sóa tua cara que te sentas aí na minha frente e fazes cara de quem está com atenção ao que te conto.Vá lá, mermão, paga só mais aí umas quantas para que eu possa ter força para continuar aqui a te contar as estórias que vi lá no outro lado da linha recta que é curva.
Sanzalando em Angola
Carlos Carranca

Sem comentários:

Enviar um comentário

recomeça o futuro sem esquecer o passado